Primeiro satélite 100% brasileiro foi lançado nesta quinta-feira

O Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC) deve fornecer melhor conexão da internet banda larga e mais segurança na transmissão de dados

Compartilhe

Receba nossa newsletter
Julho de 2017 Edição do Mês

Da Redação


 

Nesta quinta-feira (04), aconteceu o lançamento do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC), o primeiro satélite brasileiro. A decolagem, que teve como veículo lançador o Ariane 5, foi considerada perfeita a partir do Centro Espacial de Kourou, na Guiana Francesa. Desenvolvido pela empresa francesa Thales Alenia Space, que assinou um contrato com a Visiona (uma joint venture formada pela Embraer e pela estatal Telebras), o SGDC envolve os ministérios da Defesa (MD) e da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações (MCTIC). A decolagem foi considerada perfeita.

Depois do lançamento de foguete, houve um período de 28 minutos até a separação do satélite que deve levar cerca de dez dias até chegar à sua posição final. Nos próximos 30 dias devem ser realizados testes e a previsão é que ao final de junho o controle operacional do satélite poderá ser feito pelas Forças Armadas. Já a utilização de banda larga para telecomunicações deve acontecer a partir de setembro.

O satélite tem como objetivo ampliar as telecomunicações e possibilitar o acesso à conexão em banda larga a todos os locais do país, com foco a áreas de difícil acesso. Além disso, também ajudará na troca de informações civis e militares que envolvam a segurança nacional. Atualmente, o governo aluga o sinal de satélites privados. 

Responsável pelo desenvolvimento da área espacial do País, a Força Aérea Brasileira (FAB) será a responsável pela operação e monitoramento do satélite. Para isso, foi criada uma nova organização militar, o Centro de Operações Espaciais Principal (Cope-P), em Brasília (DF), onde cerca de cem profissionais irão se revezar em três turnos para dar suporte ao funcionamento do satélite – 24 horas por dia. Lá foi instalada a antena responsável por esse contato, que tem 18 metros de altura, 13 metros de diâmetro e pesa 42 toneladas.

Ele começou a ser construído em janeiro de 2014. Quando for lançado, no segundo semestre do ano que vem, da Guiana Francesa, ele ficará posicionado a uma distância de 35.786 km da superfície da Terra. O artefato terá cinco transponders – equipamento que recebe o sinal em determinada frequência, realiza a conversão e transmite o sinal recebido em uma nova frequência - em Banda X (militar) e 40 em Banda Ka (civil) e pesará cerca de 5,6 toneladas. A capacidade total de transmissão de dados será de 50 a 60 Gbps e sua vida útil mínima é de 15 anos. O investimento total do processo foi de R$ 1,7 bilhão, oriundos do orçamento do governo federal.

A transmissão poderá ser acompanhada ao vivo no link.

Notícias Relacionadas