Semana ABC: mesa sobre direção de fotografia exalta importância de repertório e de novas plataformas

Profissionais ressaltaram a importância de mesclar o conhecimento técnico com teoria e o uso da tecnologia para veiculação de produções

Compartilhe

Receba nossa newsletter
Setembro de 2017 Edição do Mês

Da Redação


 

A primeira mesa de palestras da Semana ABC, promovida pela Associação Brasileira de Cinematografia, teve como tema principal o ensino da direção de fotografia. Com o tema “A Imagem no Cinema Contemporâneo: os desafios atuais no ensino da direção de fotografia”, o encontro reuniu os diretores de fotografia Affonso Beato, Carlos Ebert e Fernanda Riscali e o professor de cinematografia da USP, Joel La Laina e o professor da FAAP, Rodolfo Ancona Lopez.

Os profissionais ressaltaram a sua preocupação em relação à construção de repertório e de experiências cinematográficas por parte dos alunos e profissionais. Segundo eles, muitos alunos apresentam um bom conhecimento em relação às tecnologias relacionadas ao audiovisual, já que ela pode ser facilmente acessada pela internet, mas deixam a desejar em relação aos conhecimentos relacionados à história do cinema e da arte.

“O diretor de fotografia precisa ter hoje diversos parceiros ligados a questões técnicas durante a produção, mas ele precisa pensar visualmente”, explicou La Laina.

Os profissionais ressaltaram, porém, que o conhecimento técnico continua tendo grande importância em conjunto com a linguagem. “Hoje a possibilidade de recursos é muito grande, mas é preciso realizar esse elo entre a técnica e as ideias”, afirmou Lopez. “A técnica e a poética não se separam, você tem que tentar unir as duas coisas, já que a combinação entre diversos fatores gera imagens diferentes. Mas de qualquer maneira, o diretor precisa buscar experiências e ser pensante e reflexivo na hora da produção”, afirmou Fernanda.

O debate também teve como tema as linguagens relacionadas a novas plataformas como o YouTube e o formato digital para o cinema. Segundo os profissionais, o YouTube apresenta produções de diferentes tipos e, portanto, não há uma linguagem definida. Para eles, os princípios da produção valem para qualquer meio de exibição, mas alguns princípios técnicos podem ser diferentes.

“Com o digital você tem a falsa noção de que é só ligar a câmera e produzir. Existe um acesso muito maior, qualquer pessoa pode produzir com o próprio celular, mas é preciso cuidar em relação a uma série de parâmetros para exibir a produção em uma tela com grande projeção. Se não tiver isso, você pode ter uma série de problemas, de ruídos digitais”, ressalta Beato. Ele lembra também que plataformas como o Netflix e o Amazon PrimeVideo, por exemplo, apresentam uma série de exigências em relação às produções que são veiculadas em suas plataformas. 

Confira mais informações sobre o evento no site oficial.

Notícias Relacionadas