Home Especiais Rede Globo inicia transformação rumo ao HybridCast

Rede Globo inicia transformação rumo ao HybridCast

Por Flávio Bonanome

Globo Play passa a figurar como plataforma de integração entre o broadcast e o broadband para experiência seamless.

Em entrevista coletiva realizada durante o segundo dia de SET Expo 2018, o Diretor de Tecnologia da Rede Globo Raymundo Barros revelou a implementação de um modelo de transmissão híbrida Braodcast/Broadband já em andamento na emissora. Durante o bate-papo, o executivo explicou a transformação do Globo Play em uma plataforma integrada com a TV Aberta que vai permitir entregar conteúdo por TV Digital e por Streaming simultaneamente de forma “seamless”.

Após um breve contexto sobre o projeto do Globo Play, iniciado em 2015 e que hoje já conta com mais de 20 milhões de usuários únicos por mês, Barros explicou as diversas descobertas que foram feitas em termos de comportamento de usuário e desafios de uso e implementação da plataforma de streaming. “Percebemos que o melhor formato não era o Globo Play ser um aplicativo Stand Alone dentro dos smartphones e das Smart TVs, mas sim uma plataforma que permitisse a integração dos dois mundos para o espectador”, afirmou.

Para colocar a ideia em prática, a Rede Globo fez uma parceria com a fabricante de televisores TCL para os aparelhos saírem de fábrica com o Globo Play embarcado neste modelo integrado. Desta forma, com a Smart TV conectada à internet e recebendo sinal de TV Digital Terrestre, é possível realizar a troca entre um tipo de recepção e outra de forma totalmente orgânica e natural. “A ideia é que se o espectador tem um televisor 4K, que é uma resolução que TV Digital não entrega, mas ele está assistindo um conteúdo da Globo que foi produzido nesta resolução, o App tome a frente e passe a entregar por streaming a transmissão em UHD sem que haja nenhuma interrupção na experiência do usuário”, explicou.

Este modelo de Hybrid Cast Broadcas/Broadband é possível graças a um novo Framework de dados criado pela emissora junto ao grupo do GIRED e do Forum SBTVD, que garantem que haja comunicação entre o sinal ISDB-Tb e o canal de internet. “Estamos trabalhando agora para que este Framewor torne-se um padrão homologado para o ISDB-Tb e ai poderemos expandir para todos outros fabricantes de televisores”, afirmou.

Raymundo Barros durante Coletiva de Imprensa na SET Expo

Com esta ferramenta, o que a Rede Globo está propondo é transformar o ato de consumir TV Aberta em uma experiência “logada”, o que pode permitir, em um futuro próximo, a possibilidade de ter publicidade direcionada individualmente para diferentes segmentos de espectadores. Por hora, porém, não há planos abertos sobre o tema e há também a garantia da continuidade de conteúdo geolocalizado para a proteção da rede de afiliadas da emissora.

Chegando no Brasil Profundo
Outro tema abordado por Raymundo Barros durante a Coletiva de Imprensa foi um projeto piloto, capitaneado pela ABERT que diz respeito ao desligamento analógico no chamado “Brasil Profundo”. Com ainda 3.400 cidades (50 milhões de habitantes) pendentes do desligamento analógico até 2023, foi criado uma parceria entre emissoras, indústria nacional e a entidade de representação para a criação de um esforço compartilhado na instalação de transmissores digitais.
Com um projeto-piloto situado em Tiradentes, sul de Minas Gerais, a inciativa realizou a instalação de uma antena compartilhada já com seis transmissores digitais instalados para abrigar até seis emissoras. “Trata-se de uma ação capaz de entregar o mesmo resultado à um município de pequeno porte com menos de 1/6 do custo para cada uma das emissoras”, explicou Barros.

Apesar de o piloto ter sido um sucesso sob o ponto de vista técnico e de cooperação entre as emissoras, o modelo de gestão da iniciativa ainda está em aberto, o que revela que há agora uma questão de estruturação a ser resolvida pela frente.

Acompanhe a Panorama Audiovisual no Facebook e Youtube

Assuntos relacionados